De onde veio o tomate?

31 ago 2021 | Comer bem faz bem, Você sabia?

Se a primeira resposta que passou na sua cabeça para o título desse artigo foi Itália, é melhor repensar! Embora a tradição de consumir molho de tomate com massas e outras outras centenas de receitas levam o tomate como ingrediente protagonista sejam de origem europeia, este fruto é originário mesmo da América do Sul. Numa região que vai do norte do Chile até a Colômbia, sabe-se que grandes quantidades de tomates selvagens eram cultivados na civilização inca, região do atual Peru, isso ainda no século XV!

Por outro lado, um fato até que engraçado desse período na história é que o tomate tido como fruto para a alimentação humana é até recente na humanidade. Até por volta do ano 1800, os europeus acreditavam que o tomate fosse venenoso, sendo a causa de doenças e mortes. A confusão tinha um motivo fácil de entender hoje em dia: como era costume da época servir a comida em pratos de estanho – que contém alto teor de chumbo –, o tomate por sua acidez filtrava muito do chumbo, o que muitas vezes resultava no envenenamento dos consumidores… Ou seja, o grande vilão mesmo era o prato, nunca foi o tomate!

Tanto misticismo fez com que os tomates fossem, até 200 anos atrás, cultivados em países europeus quase exclusivamente para fins decorativos. Isso só começou a mudar de verdade com o herborista italiano Pietro Andrea Matthioli, que fez a primeira referência ao tomate classificando-o como pertencente às frutas e vegetais da família Solanaceae, que também inclui a berinjela. A fama dos nossos amados tomates ganhou o mundo de verdade por volta de 1880, com a invenção da pizza em Nápoles, na Itália. Foi de lá que chegou à América do Norte e passou a fazer parte do dia a dia de milhões de famílias ao redor do mundo. Hoje em dia, são produzidos para serem comercializados mais de um milhão e meio de toneladas de tomates por ano.

E porque o tomate é uma fruta? É difícil mesmo associar salada de folhas, temperada com sal, azeite e outros temperos “salgados” com uma fruta, mas esse conceito é biológico: por ser o produto do desenvolvimento do ovário e do óvulo da flor, isso dá para perceber facilmente com seu interior, por conta das sementes. Nesse caso, não só o tomate é fruta, como a berinjela, a abobrinha, o pepino, o pimentão e outros alimentos que nós chamamos de legumes também são. Tornou-se quase uma convenção social chamar tomate de legume e, embora a gente saiba que não é, não pode-se dizer que é errado, apenas um costume passado de geração em geração, como a grafia da palavra “Bahia”, que gramaticalmente está incorreto. A verdade é que você pode chamar como quiser, só não pode deixar faltar Tomates Mallmann na sua mesa!

Uma curiosidade para dividir com a família é que atualmente os maiores produtores mundiais de tomate são China, Estados Unidos, Turquia, Itália, Índia, Espanha, Egito e Irã. No Brasil, a produção se concentra nos estados de Goiás, Minas Gerais e São Paulo. Com média de 24 lavouras anuais, os Tomates Mallmann são cultivados em diferentes cidades no interior de São Paulo e Minas e Gerais. Essa variedade, cada uma com seu próprio clima, altitude e condições próprias do solo, permite nosso fornecimento de tomates padronizado durante todo o ano, com períodos de safra alternando-se entre as cidades.

E você, já conhecia todas essas curiosidades sobre o tomate?